Pesquisar este blog

6 de jul de 2008

ESCRITOR MARÇAL AQUINO EM MACAPÁ






  • Estamos replicando este e-mail da Secretaria de Comunicação do GEA, enviado pelo assessor de imprensa Jailson Costa dos Santos, ao tempo em que convidamos os escritores e demais interessados em participar desse encontro. Informamos que a entrada é franca.




    Banco do Brasil traz escritor Marçal Aquino a Macapá
    O autor participa do Laboratório do Escritor em etapa do CCBB Itinerante e fala sobre seu processo criativo

    Os 200 anos do Banco do Brasil são comemorados em Macapá, entre outros eventos, pelo encontro do público com o escritor Marçal Aquino em 9 de julho, na Fortaleza de São José de Macapá, às 19h. O Laboratório do Escritor é mais uma atração que marca a passagem do Centro Cultural Banco do Brasil Itinerante pela cidade.

    A presença do romancista e roteirista faz parte do projeto Laboratório do Escritor, criado em 2006 pelas jornalistas Cristiane Costa e Valeria Lamego para o CCBB. A idéia do projeto é desmistificar a relação com a escrita, mostrando aspectos concretos e abstratos do processo criativo. Os encontros, com duas horas de duração, abordam diversas etapas da produção literária, tais como: as pesquisas necessárias, os momentos de dúvida e bloqueio criativo, o ritmo de trabalho, a relação com os editores e as motivações para se começar um novo livro. Já passaram pelo projeto 18 autores.

    O Centro Cultural Banco do Brasil Itinerante leva a todas as regiões do País atividades em música, literatura, educação, artes plásticas, teatro e fotografia para marcar com eventos culturais o bicentenário do BB. Em Macapá, além do Laboratório do Escritor, a programação inclui a exposição A História da Moeda - Moedas Não Convencionais (de 1 a 13 de julho), uma mostra de cinema com filmes inéditos na cidade (de 8 a 20 de julho) e o show de Leila Pinheiro (24 de julho).

    Sobre o artista
    Uma das vozes mais potentes da literatura contemporânea, Marçal Aquino começou a escrever profissionalmente como jornalista, tornou-se contista e romancista prestigiado, mas, desde 1997, com a adaptação de um conto seu que resultou no filme Matadores, de Beto Brant, tem íntima ligação com o cinema, com uma intensa atividade de roteirista (O Invasor, de Brant; Cheiro do Ralo, de Heitor Dhalia).

    Embora seja vinculado ao gênero policial, Aquino transcende as regras e códigos dessa vertente literária, centrando seus enfoques no potencial de violência dos seres humanos, sobretudo quando os personagens estão vinculados a uma realidade degradante. Seu estilo é seco, sem excessos, com frases curtas, eventualmente duras e cruéis, conectadas a dureza dos ambientes e das relações abordadas. Ele mesmo define esse estilo de "hiperrealista".

    Nascido em Amparo há 50 anos, com 22 anos de publicações (desde o livro de poesias Por Bares Nunca Dantes Navegados), o escritor é filho de um administrador de fazenda com uma dona de casa, tem oito irmãos e não teve apoio da família quando decidiu se tornar escritor. Escreve à mão, sem métodos rigorosos, antes de digitar o conteúdo no computador.

    Aquino é autor premiado. As Fomes de Setembro ganhou o Prêmio V Bienal Nestlé de Literatura na categoria de Conto em 1991) e O Amor e Outros Objetos Pontiagudos recebeu o Prêmio Jabuti em 2000 de melhor romance. O escritor também se dedica ao universo infanto-juvenil em títulos como O Mistério da Cidade-Fantasma, O Jogo do Camaleão, O Primeiro Amor e Outros Perigos e A Turma da Rua Quinze.
    ServiçoLaboratório do Escritor - Marçal Aquino - Macapá
    Data: 9 de julho
    Horário: 19h
    Local: Forte São José de Macapá - Rua Cândido Mendes, s/n

Nenhum comentário: