Pesquisar este blog

2 de out de 2013

VICTOR CANTUÁRIO EM PROSA E VERSO


As novas gerações de autores, oriundos dos cursos superiores que começaram a ser implantados de forma mais consistente no início dos anos 90, através da Universidade Federal do Amapá (Unifap), estão atuando e produzindo cada vez mais, estimulados por uma conjuntura favorável de valorização da produção literária e científica. Na Ueap, a nossa Universidade Estadual, que começou a funcionar recentemente, e conta menos de uma década, também se notam o surgimento de alguns escritores que extrapolam a temática do regionalismo puro e simples e enveredam por uma literatura mais abrangente - como é o caso do autor destes dois livros que apresentamos agora neste blog. 

"Misto de realidade e ficção", assim
define o autor esta obra 






Coletânea de poemas do autor

Victor Cantuária, através do sistema de publicação independente, sob demanda, publicou as obras Esboço de uma Paixão Inominável (misto de ficção e realidade,Editora Protexto) e Nexus (poemas, através da editora do Clube de Jovens Escritores).
Como nesse tipo de publicação, os interessados devem entrar em contato com o autor ou a editora para adquirir as obras.(Texto:Paulo Tarso Barros)


"Nasci em Macapá (AP), na curiosa data de 09 de novembro do ano de 1981. Graduei-me em Letras (UNIFAP) e em Filosofia (UEAP). Publiquei meu primeiro romance, Esboço de uma Paixão Inominável, em 2011. Ainda neste ano finalizei o volume de poesias Nexus, iniciado na infância, e por tantos anos deixado de lado. Em 2013 sai o meu segundo romance, Desencontros & Acasos juntamente com Nexus. Após a conclusão de Desencontros & Acasos, emendei a produção de um livro de contos, Dix Contos, que será lançado em novembro próximo.
            Para o primeiro semestre de 2014, estou finalizando mais um romance, Entre as horas, que conclui uma discussão temática iniciada em Esboço, e um livro voltado para discussão estritamente filosófica, O que é deus? Além de outros projetos já em execução.
            Sobre a literatura, o que posso dizer é que me veio naturalmente. Cedo tomei gosto pela leitura. Devorei cada livro que me caiu nas mãos, destroçando suas páginas e absorvendo o mais singular pensamento, fazendo do universo do autor o meu próprio. Inevitavelmente tropecei em palavras, e, ao me levantar, acreditei que seria a minha vez de criar meu universo para que outros se perdessem nele, como outrora aconteceu comigo.
           Eis que uma ânsia me invade, não me permitindo sossegar um momento sem rascunhar falas e construir personagens que, ora são, ora me constroem, assumindo aquele controle que achava ter, e, na verdade, jamais possuí". (Texto: Victor Cantuário)


Contatos com o autor:

Nenhum comentário: